aquilomaisisso

Archive for the ‘Cinema’ Category

VAI VENDO! Festival internacional de documentarios, É Tudo Verdadde

In Cinema, VAI VENDO! on 30/03/2011 at 14:31

Por Brunno Marchetti

O festival internacional de documentários, É Tudo Verdade (It’s All True), tem seu inicio marcado para amanhã na cidade de São Paulo. Este ano o festival chega a sua 16° edição trazendo nada menos que 92 documentários de 29 países, que serão exibidos até o dia 10 de abril.

Imagem do filme "O Gosto amargo da liberdade" de Marina Goldovskaya /foto: Divulgação

A mostra traz entre seus títulos, 18 filmes brasileiros inéditos. Além de documentários da russa Marina Goldovskaya, uma das cineastas que retratou o esfacelamento da antiga União Soviética, celebrando seu 70° aniversário com a pré-estreia da obra “O gosto amargo da Liberdade”, durante o festival.

Cena do documentário "Black Power Mixtape", que dá inicio à mostra em SP /foto: Divulgação

Retrospectiva Brasileira apresentada este ano, traz o título Poesia É Verdade, com quinze obras realizadas entre os anos de 1948 e 2007, apresentando filmes que retratam a poesia de Vinicius de Moraes, João Cabral de Melo Neto e Carlos Drummond de Andrade, entre outros.

Para conferir mais detalhes da programação, acesse: http://www.itsalltrue.com.br/2011/home.asp?lng

Anúncios

VAI VENDO! Adeus Cine Belas Artes

In Cinema on 17/03/2011 at 16:03

Por Clara Caldeira

Cine Belas Artes atual - divulgação

Hoje, dia 17 de março, o Cine Belas Artes dá adeus após uma longa história de 68 anos. Para sua despedida, foi elaborada uma programação especial de clássicos, que assim como o Belas Artes, marcaram época e conquistaram um lugar especial no coração dos cinéfilos de plantão.

Depois de momentos dignos de comédia pastelão, com direito a tentativa de tombamento, o drama do cinema que não conseguiu cobrir a oferta de aluguel de uma grande magazine chega ao fim. O resultado desta saga confirma a triste tendência do dinheiro que prevalece sobre a ideologia e do consumo que atropela a cultura.

Cine Belas Artes das antigas - divulgação

André Sturm, dono do cinema, declarou ao jornal Folha de S. Paulo que ele não deixará de existir, apenas mudará de endereço. Mas sua localização atual, a emblemática esquina da Avenida Paulista com a Rua da Consolação, ficará para sempre na memória daqueles que ali viveram bons momentos e assistiram a filmes inesquecíveis.

Programação para hoje (17), dia da despedida:

20h20 – “Queimada!”, de Gillo Pontecorvo (sala Mario de Andrade)

20h30 – “O Leopardo”, de Luchino Visconti (sala Oscar Niemeyer)

21h – “A Doce Vida”, de Federico Fellini (sala Villa-Lobos)21h20 – “O Águia”, de Clarence Brown (sala Carmen Miranda)

21h30 – “No Tempo do Onça”, de Charles Riesner (sala Cândido Portinari)

21h30 – “O Joelho de Claire”, de Eric Rohmer (sala Aleijadinho)

Vai lá!

Rua Da Consolação, 2423

O site Catraca Livre criou um série especial em homenagem ao Cine Belas Artes, com depoimentos de funcionários e amantes do clássico espaço cultural da cidade. Relembre aqui.

Abertura do Outubro Independente agita o Centro Velho de SP

In Artes Plásticas, Cinema, Dança, Design, Exposição, Festas de Rua, Festivais, Fotografia, Grafite, Literatura, Música, Palestra, Show, Teatro on 28/09/2010 at 09:00

Por Clara Caldeira

Foto: reprodução

Na próxima sexta feira dia 1° de outubro a sacada da Associação Brasileira de Empresários de Diversões será palco, ou melhor, pista, ou seria tela… Da abertura do Outubro Independente 2010. A festa que inclui projeções, performances, live paiting, sound system e sets de Dj de diversas partes do mundo é fruto de uma parceria entre o Outubro Independente e o coletivo Voodoohop que comemora um ano de existência e promete agitar a madrugada do Centro Velho de sexta para sábado.

Foto: reprodução

O evento que dá o pontapé inicial do Outubro Independente deste ano terá a presença dos DJs Shir Khan e Berlin Battery, da Alemanha, Souksouklow, da França, além de Camilo Rocha, Pomba, Dolores e Tomash. Também haverá uma apresentação do grupo alemão Kissogram, acompanhada de projeções do Código 11 Projeções (Sms Pixação + Sound Visualization) e ainda intervenções sonoras do Barulho.org.

Galeria Olido (Foto: reprodução)

O Outubro Independente, que surgiu como CCJ Independente, foi realizado durante quatro anos pelo Centro Cultural da Juventude e ganhou, em 2009, o apoio da Secretaria Municipal de Cultura. A partir daí o CCJ se uniu a novos parceiros como o Centro Cultural São Paulo (CCSP), a Galeria Olido e as bibliotecas Viriato Corrêa, Roberto Santos e Alceu Amoroso Lima.

Com o objetivo de discutir e incentivar a produção cultural independente feita no Brasil, o Outubro Independente trará shows, exposições, exibições de filmes, palestras e workshops, a maioria de graça, espalhados pelos espaços participantes.

Confira a programação:
http://www.centrocultural.sp.gov.br/outubroindependente

Vai Lá!

A festa de abertura começa com a exibição do filme “Pixo” na Galeria Olido, às 19h30 da sexta feira 1° de outubro. Depois, é só seguir o fluxo! Para ganhar sua senha para a Afterparty acesse o site do Voodoohop e ajude a divulgar o evento.

Novo Cine Livraria Cultura exibe de graça ciclo de filmes das montagens de Zé Celso de “Os Sertões”

In Cinema, Teatro on 27/09/2010 at 14:43

Por Clara Caldeira

Foto: reprodução

Lembra do Cine Bombril? Aquele pequenino com uma decoração descolada no Conjunto Nacional? Pois agora ele é Cine livraria Cultura. O patrocínio da marca de palhas de aço que começou em outubro de 2005 acabou em agosto deste ano e não foi renovado. Desde o começo de setembro o antigo reduto de cinéfilos da região da paulista está nas mãos da Livraria Cultura  e tem uma nova programação que engloba, além dos grandes sucessos internacionais de bilheteria, uma boa variedade de filmes alternativos.

Foto: reprodução

Um exemplo desta nova programação é a série de filmes que registram as cinco montagens criadas por José Celso Martinez Corrêa do clássico “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, realizadas a partir de 2002 no teatro oficina. Os filmes serão exibidos a partir de hoje, dia 27, até sexta feira, 1° de outubro e na seqüência devem ser lançados em DVD. 

Foto: reprodução

Cada montagem foi retratada por uma visão diferente. A primeira parte “A Terra” foi dirigida por Tommy Pietra, “O Homem I”, por Fernando Coimbra, “O Homem II”, por Marcelo Drumont e Gabriel Fernandez, “A Luta I”, por Elaine César e “A Luta II” por Eryk e Pedro Paulo Rocha. O resultado reúne aproximadamente 26 horas de gravação e traz uma visão diferente daquela vivenciada por quem presenciou ao vivo alguma das cinco montagens.
Vai Lá!
Cine Livraria Cultura – Av. Paulista, 2073, tel. (11) 3285-3696
hoje (27), às 19h – outros dias: de terça a sexta, às 18h

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é definitivamente outra coisa

In Cinema, Crítica on 23/08/2010 at 10:20

Por Beatriz Macruz

Uma coisa é o filme de Christopher Nolan, outra coisa – completamente diferente, é o hype em torno dele. Não, “A Origem” não revoluciona o gênero de ficção científica; não, não botou uma trama surrealista pra dentro do esquema de Hollywood e não, não é um filme de intensos questionamentos sobre o ser humano. “A Origem” está mais perto, talvez, de ser uma história de amor do que qualquer outra dessas alternativas alardeadas sobre o filme.

O novo longa de Nolan não corresponde a essas expectativas que o hype (melhor dizendo, o marketing) projetou em nós. Dito isso, vamos ao que interessa: o que o filme tem de bom? Christopher Nolan é fiel ao seu ofício – o de cineasta, e respeita o cinema como narrativa, como forma de contar histórias.

A vantagem do filme em relação a tantos outros hollywoodianos é que se trata indiscutivelmente de cinema, a tal da sétima arte, e não de indústria. Nolan foi capaz de construir uma boa história e soube contá-la. Esse é o seu mérito. É isso que faz com que as quase três horas de duração não sejam sentidas e que ignoremos alguns dos problemas do filme. Nolan não entrega a trama de bandeja, mas não tem um formato narrativo revolucionário, de forma alguma.

Mesmo filmado e produzido dentro do esquema de grandes massas hollywoodianos, o filme consegue certa independência: o diretor bateu o pé e não filmou em 3D, e soube usar os efeitos especiais a favor de sua história e de sua narrativa, e não o contrário, o que resultaria num dos show pirotécnicos sem sentido que encontramos por aí.

Tá certo que vez ou outra Nolan tem uns delírios de grandeza e pesa um pouco a mão achando mesmo que está fazendo o novo “Matrix”, porém, diferentemente do que se têm dito por aí, ele não quer ser Buñuel e não quer falar sobre Freud. O filme até tem consegue cutucadas mais reflexivas, principalmente pra quem se deixa envolver bastante pela história de amor entre Mal (uma linda e sofrida Marion Cotillard) e Cobb (Leonardo DiCaprio, cada vez melhor), mas esse não é o seu grande objetivo.

Ao pensar o cinema como entretenimento e não como indústria, Nolan constrói alguns belos momentos em seu trabalho, como o já tão citado clímax estendido – e grande parte do mérito desse momento é da trilha de Hans Zimmer que quase faz a gravidade sumir a nossa volta, como no filme. Falando em trilha, bonitos também são os momentos em que a voz de Edith Piaf invade a tela trazendo os personagens de volta à realidade.

“A Origem” se propõe a ser um daqueles sonhos em que mergulhamos de cabeça. Deixe-se conduzir por Cobb e os outros personagens, pois é só assim que o filme funciona, como uma boa viagem para bem longe da realidade. Diversão e imersão pura. E não há nada de mal nisso, também é um papel que o cinema pode exercer.

“5x Favela”: pré-estréia e debate de graça no Espaço Unibanco

In Cinema, Debate on 16/08/2010 at 12:54

Por Clara Caldeira

Foto: reprodução

O Espaço Unibanco de Cinema e o Jornal Folha de S. Paulo promovem no dia 17 de agosto (terça feira), às 20h00, a pré-estréia do filme “Cinco Vezes Favela, Agora por Nós Mesmos”. Mas essa não será uma pré-estréia como todas as outras. Após a exibição do filme acontecerá um debate com a presença dos produtores do filme, do diretor, Cacá Diegues, e do jornalista Gilberto Dimenstein.

Foto: reprodução

Grande destaque do III Festival de Paulínia, o filme tem sua origem na década de 60 quando cinco jovens cineastas de classe média realizaram, em parceria com a UNE (União Nacional dos Estudantes) o filme “Cinco Vezes Favela”. Carlos Diegues, Marcos Farias, Joaquim Pedro de Andrade, Miguel Borges e Leon Hirszman foram os responsáveis pelo que se tornaria um marco do cinema moderno brasileiro e um dos primeiros representantes do Cinema Novo.

Foto: reprodução

Em 2009, este projeto foi retomado, mas recebeu uma nova roupagem. “Cinco Vezes Favela, Agora por Nós Mesmos” foi escrito, dirigido e realizado por jovens cineastas moradores de favelas do Rio de Janeiro que, antes de produzir o filme, foram treinados em oficinas de capacitação. Este atendimento foi feito por grandes nomes do cinema brasileiro como Nelson Pereira dos Santos, Ruy Guerra, Walter Lima Jr., Daniel Filho, Walter Salles, Fernando Meirelles e João Moreira Salles, entre outros.

Para garantir seu ingresso o site Catraca Livre está realizando uma promoção. Basta acessa o link e responder à pergunta:
Grande destaque do Festival de Paulínia de 2010, “5X Favela” ganhou quais prêmios neste evento?


Quem preencher corretamente participará do sorteio de 20 pares de convite para a pré-estréia. A promoção vai até segunda-feira, dia 16 de agosto, às 15h e o resultado sai no mesmo dia, às 18h.

Vai Lá!
Espaço Unibanco
Rua Augusta, 1475 – Consolação – Centro
Ter 17/08 às 20:00